Prefeitura Municipal de Matias Olímpio Piauí
Praça São Miguel, nº 101 - centro
| Tel. (86) 3340-1416 Cep: 64150-000 |
CNPJ: 06.554.182/0001-29

        Matias Olímpio é um município brasileiro do estado do Piauí, microrregião do Baixo Parnaíba, mesorregião do Norte Piauiense. O padroeiro da cidade é São Miguel Arcanjo. O município tem cerca de 10 mil habitantes e 235 km². Inicialmente era um povoado de Luzilândia sendo elevado ao patamar de município por força de lei estadual datada de 29 de outubro de 1953 sendo instalado em 1 de junho de 1954. Ainda antes de sua emancipação foi batizado em honra ao político Matias Olímpio de Melo.

   
      Por volta dos anos 1830, quando o Rio Parnaíba ainda era completamente navegável, a região era parte da rota que ligava cidades e entrepostos do Maranhão ao estado do Ceará, onde já existiam os povoados Arrodeador e Caiçara, sendo frequentemente visitados por tropeiros advindos da região de Repartição, além do rio. A região, por ser fértil, se tornou atrativa aos retirantes cearenses fugindo das secas que assolavam o estado na segunda metade do século XIX.

          Em 1925, os comerciantes José Ferreira Franco e João Oliveira Lopes adquiriram, da União, cerca de 30 hectares e doaram para formação do patrimônio do padroeiro São Miguel (arcanjo). Em 02 de outubro de 1929, a capela em homenagem ao santo começou a ser erguida por Manuel Liarte, sendo inaugurada em 19 de setembro de 1931, pelo padre Uchoa de Carvalho. Mediante uma taxa de aforramento, todos puderam apossar-se da terra, dando origem, assim, ao Arraial do Saco, como foi denominada a região localizada entre morros. Em 1933, a região foi oficialmente demarcada.

         Os primeiros habitantes se estabeleceram na região por volta do início do século XX. Pela formação curiosa do relevo, com morros circundando um terreno mais baixo, a aglomeração inicial foi denominada Arraial do Saco. O Arraial desenvolveu um pequeno comércio durante o primeiro quarto do século. Temos a fábrica de beneficiamento de algodão e arroz, de propriedade de Moisés Percy. Um dos marcos da formação da cidade foi a doação de terras onde seria erguida a Igreja de São Miguel Arcanjo, padroeiro da cidade, em 1925, por José Ferreira, Manuel Liarte e Moisés Percy. A igreja seria erguida logo depois e perduraria até o final da década de 1980, quando foi substituída por um novo edifício de arquitetura contemporânea. No mesmo ano, a região foi elevada à categoria de povoado, recebendo a denominação atual, em homenagem ao governador Matias Olímpio de Melo. Matias Olímpio, então, recebeu o status de município pela lei estadual nº 894, de 29 de outubro de 1953, com território desmembrado do município Luzilandia.

Breve histórico do município: